Nouriel Roubin e suas previsões

às 1:40 PM Posted by Investmaníacos under

A reportagem abaixo fala de Nouriel Roubini.

Nós nunca ouvimos falar dele, mas já gostamos do cara, pois observou duas coisas: que a crise o subprime não era passageira e que ela só existiu devido a solução aplicada pelos EUA para solucionar a "bolha da internet" em 2001, com a flexibilização da taxa de juros.

Baixar os juros, como o FED está fazendo agora, é uma solução imediata e eficiente para os EUA sair da crise, como mostrou a história. Porém, o mesmo passado mostrou também que provavelmente teremos uma nova crise em poucos anos... Qual será ela ??????

Veremos...

Investmaniacos (por e-mail)

Nouriel Roubini ganha reconhecimento enquanto vê pessimismo confirmado

Na reunião do Fórum Econômico Mundial em 2008, o economista Nouriel Roubini pôde recolher, enfim, o reconhecimento geral a partir de sua visão tradicionalmente crítica sobre os Estados Unidos. Voz solitária em outras edições do encontro, o professor da Universidade de Nova York dessa vez dava a tônica aos discursos.

Roubini é conhecido como um autêntico "bear", o mais pessimista entre os que alertam sobre a crise financeira. Tal visão extrema concedeu-lhe uma posição notória dentro do espectro de debate macroeconômico. Seu site (www.rgemonitor.com) tem audiência garantida, para concordar ou discordar.

Filtradas as proporções da fama, as idéias do bear não devem nada às de um acadêmico discreto que passa as madrugadas escondido entre livros. Roubini avalia cenários e faz estimativas. No caso da crise corrente, os prejuízos totais podem chegar a US$ 1 trilhão.

O bear contribui com o debate

Na opinião de Roubini, os problemas com empréstimos subprime logo serão estendidos ao financiamento de automóveis, estudos, cartões de crédito e títulos de dívida corporativa. Se essa dispersão provar-se real, "estaremos olhando para US$ 1 trilhão em perdas no sistema financeiro", projeta o economista.

Ele arrisca outras objetividades, como a de que a recessão norte-americana tende a durar ao menos três trimestres. Mas não fornece medidas precisas para o grau de comprometimento do resto do mundo. Limita-se a dizer que os analistas superestimam a tese de descolamento.

Típica de um extremista, a crítica aos pares ganhou força com as novas evidências de crise neste início de 2008. Em agosto, Roubini afirmou que os problemas não seriam temporários. O noticiário atual prova que ele estava certo.

Uma crise sistêmica

A visão de Roubini sobre a crise do subprime tem caráter eminentemente sistêmico, sustentando que a evolução natural dos EUA direciona sua economia à recessão. Contínua e encadeada, a história mostra que a pretensa solução para um problema é na verdade a semente do próximo.

O professor da Universidade de Nova York fala em um "Momento Minsky". Teorizado pelo economista norte-americano Hyman Minsky, o conceito em pauta indica que, durante longos períodos de estabilidade econômica, a alavancagem cresce em estágios previsíveis.

Esses anos de ouro resultam em um ambiente de crédito farto e baixa percepção frente ao risco. Ao longo do tempo, o excesso de liquidez desafia o financiamento sensato e culmina em abusos como os verificados atualmente.

Como exemplo, Roubini atesta que os remédios aplicados para atenuar a bolha tecnológica estourada em 2001 - exageros em flexibilização monetária - apresentaram seus efeitos colaterais no nascimento de uma nova bolha, dessa vez no setor imobiliário.

Fonte


InfoMoney em 25/01/08

1 comentários:

On 29 de janeiro de 2008 23:25 , Bud Fox disse...

Ouvi falar muito dele no mercado o ano passado, este texto só falha em não apontar que ele está Bear a bastante tempo, e assim quem se posicionou de acordo com suas projeções deixou de ganhar uma fortuna no Bull Market dos últimos anos.
Forte abraço, bud fox